terça-feira, 26 de outubro de 2010

E essa minha amiga,


A irmã que não tive, era a amiga de poesia de mundo.
Era com ela que eu sonhava, no dia que minha mãe ou meu pai morresse, tomar um café em algum lugar legal e estar tão miserável a ponto de fazer uma piada que só ela entenderia como aquilo era humano demais. E no show do Eva , a gente ficaria num espaço que desse pra girar tanto que o mundo pararia.
E quando um amor acabasse, ainda que cada uma tenha a sua vida, a gente iria, nem que por alguns minutos, fazer um chá pra outra e dizer que existe sim algo que dê certo. Burlamos o inferno, querida, nos escondemos aqui, como irmãs pequenas, atrás do caldeirão que fode tudo, tudo vira um caldo de merda que corrói, mas nós, nós burlamos o mundo e demos certo porque o amor de verdade nada mais é que brincar de esconde-esconde levando a pureza bem a sério.
Tati Bernardi


Ps: texto dedicado a minha amiga irmã : Lari Galvão

2 comentários: